Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Bioimpedância: entenda o exame que estará à disposição gratuitamente no IFMS

Peso Saudável

Bioimpedância: entenda o exame que estará à disposição gratuitamente no IFMS

Balança calcula diversos índices como percentual de gordura e idade corporal.
por Laura Silveira publicado: 14/12/2017 08h42 última modificação: 14/12/2017 08h42

A mais nova aquisição do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) pode contribuir para a saúde e melhor qualidade de vida da comunidade interna: balanças de bioimpedância, que serão distribuídas por todos os campi, para realização de avaliação da composição corporal.

O procedimento quantifica porcentual de gordura e indica a idade corporal de cada pessoa, entre outros parâmetros, e é um importante passo para mensurar o perfil de servidores da instituição.

As balanças já estão à disposição para que os campi as busquem na reitoria. Instruções de como usar, coletar e interpretar os dados já foram encaminhadas às unidades.

“Para podermos pensar em estratégias de educação nutricional, precisamos primeiro traçar um perfil da comunidade do IFMS”, apontou a nutricionista da instituição, Gabriela Assis.

Dados - Na reitoria, a realização do exame começou em novembro. Os interessados manifestam interesse em participar via formulário, e então são abertos horários para as avaliações.

“Uma avaliação completa como esta pode custar, em média, R$ 100. Para a comunidade do IFMS, o acesso é gratuito e pode ser feito com frequência. Na reitoria, por exemplo, a pesagem será mensal, como parte das ações já executadas pelo Programa Peso Saudável”, ressaltou a nutricionista Gabriela Assis.

“Uma avaliação completa como esta pode custar, em média, R$ 100. Para a comunidade do IFMS, o acesso é gratuito e pode ser feito com frequência. Na reitoria, por exemplo, a pesagem será mensal, como parte das ações já executadas pelo Programa Peso Saudável”, ressaltou Gabriela.

Até agora, 41 servidores passaram pela bioimpedância. Destes, 11 apresentaram sobrepeso, nove estão obesos, um está abaixo do peso e os demais estão com peso adequado.

“Quando verificamos que há necessidade de intervenção, são passadas orientações nutricionais e, em determinados casos, encaminhamentos para que a pessoa procure um médico ou nutricionista”, explicou.

Em relação à idade corporal, ela é calculada por meio do percentual de gordura corporal, gordura visceral e músculos. O procedimento também avalia se a idade corporal está acima ou abaixo da idade real.

Entre os que já participaram, uma servidora de 34 anos apresentou, por exemplo, idade corporal de 18, e um servidor de 29 anos, idade corporal de 75.

Bioimpedância – É uma balança com eletrodos de mãos e pés, que emite uma corrente elétrica fraca e imperceptível que passa por todo o corpo. O mecanismo de avaliação se dá por meio do cálculo da velocidade da passagem elétrica nos diferentes tecidos do corpo. Após a coleta dos dados, é feito um diagnóstico nutricional.

O procedimento consegue determinar a composição corporal do indivíduo. Quantifica o percentual de gordura do corpo, gordura visceral e massa magra, o que permite ter uma visão mais completa da distribuição do peso corporal.

Informa, ainda, parâmetros, como o a Taxa de Metabolismo Basal (TMB) – quantidade de energia necessária à manutenção das funções vitais do organismo –, idade corporal e Índice de Massa Corporal (IMC).

A bioimpedância é contraindicada para gestantes, crianças menores de 10 anos e portadores de marca-passo ou outro dispositivo médico implantado.

Há algumas orientações para a realização do procedimento: pelo menos duas horas antes, deve-se evitar a prática de exercícios vigorosos, banho ou sauna, consumo de álcool e grande quantidade de água e alimentos.

Peso Saudável – O Programa foi iniciado em agosto de 2015 na reitoria, pela Coordenação de Desenvolvimento e Qualidade de Vida (Codev) do IFMS.

Dentre as atividades realizadas estão a avaliação antropométrica (pesagem e aferição da altura) e educação alimentar e nutricional, por meio de palestras com profissionais da área.

Em 2017, cerca de 60 servidores e funcionários participaram no programa na reitoria. A última pesagem do ano ocorre até sexta-feira, 15, já com a utilização da bioimpedância.

A avaliação feita pela nutricionista inclui, ainda, índices como peso ideal, peso ideal máximo, Relação Cintura-Quadril (RCQ) e estimativa do Valor Energético Total (VET) – quantidade diária total de energia, já incluído o gasto calórico das atividades físicas, que o organismo precisa para manter, diminuir ou aumentar o peso, dependendo das necessidades de cada indivíduo.

Vale lembrar que alguns fatores como idade, genética, assiduidade da prática de atividade física, hábitos alimentares e velocidade metabólica podem alterar o VET.

“O Programa vem para criar uma rotina de auto-monitoramento que permite ao servidor ter mais consciência sobre sua saúde e alimentação, além de termos uma ideia do perfil, para que possamos trabalhar em cima do que ser feito para melhorar”, finalizou a nutricionista.

Em 2018, a previsão é que todos os campi executem o Peso Saudável, de acordo com a realidade local de cada unidade do IFMS. A ideia é que servidores, funcionários e estudantes tenham acesso à bioimpedância.